EnglishPortugueseSpanish

HOME /

Mulheres no mercado de trabalho: uma história que ainda dá o que falar

Mulheres no mercado de trabalho: uma história que ainda dá o que falar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Mulheres no mercado de trabalho: uma história que ainda dá o que falar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O número de mulheres no mundo corporativo cresce a cada ano, mas ainda estamos longe do ideal.

A presença de mulheres no mercado de trabalho é relativamente recente, se considerarmos que foi a partir da Revolução Industrial, no início do século 19, e o cenário atual das empresas está longe de ser igualitário (e até inclusivo).

Vivemos a era da diversidade e inclusão que inclui fortalecer o papel das mulheres, mas será que essas estratégias estão caminhando em conjunto no contexto das empresas?  Muito se fala sobre projetos para aumentar, por exemplo, o número de cadeiras de liderança ocupadas por mulheres, mas é preciso se atentar que tais iniciativas devam ser sustentadas por estratégias de inclusão muito bem definidas e implementadas.

Em 2020 a McKinsey & Co (2020) realizou uma pesquisa com mais 1000 grandes empresas sediadas em mais de 15 países. O levantamento mostrou que ainda existe uma carência nos projetos de inclusão, mesmo para as empresas que estão mais avançadas na agenda de diversidade.

Nesse sentido, a diversidade de gênero é um dos pilares que ainda tem sérios desafios a serem superados. A presença feminina no mercado de trabalho já chegou a 54,5% segundo pesquisa realizada pelo IBGE em 2019. O número parece animador, mas ainda está bem atrás da presença masculina – que chegou a 73,7%. Além do número ser menor, a desigualdade de salário, cargos e oportunidades de crescimento ainda são grandes desafios nas organizações.

 

Diferença Salarial

Um estudo feito pelo IBGE mostra que as mulheres recebem 79,5% do salário dos homens. Além disso, a diferença salarial é refletida até nos mesmos cargos, com as mesmas funções e responsabilidades.

 

Cargos de Liderança

No Brasil, a pesquisa “Estatísticas de gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil” do IBGE mostrou que, em 2019, as mulheres ocupavam 37% dos cargos gerenciais e recebiam apenas 77% do rendimento dos homens que também ocupavam cargos de liderança.

 

Empregabilidade

Atualmente, a taxa de desemprego de mulheres no Brasil chega a 17%, enquanto a de homens está em cerca de 11%, de acordo com estudos feitos pelo IBGE. E com os impactos da pandemia, mais da metade da população feminina com 14 anos ou mais ficou de fora do mercado de trabalho.

 

Mulheres no poder!

O Relatório do Fórum Econômico Mundial de setembro de 2021 relatou que estamos longe de alcançar a igualdade de gênero no meio corporativo. Na realidade, faltam 136 anos.

Vivemos um cenário de urgência para antecipar esse prazo, e cabe aos responsáveis em cada empresa criar estratégias de diversidade de gênero ancorada em projetos de inclusão bem estruturados que acelerem o processo de crescimento da carreira das mulheres até que atinjam posições de liderança e, como já observado, contribua inclusive para os resultados positivos das empresas.

 

Fontes:

https://vocesa.abril.com.br/coluna/cris-kerr/a-inclusao-e-a-sustentacao-para-os-projetos-de-diversidade/

https://qulture.rocks/blog/diversidade-de-genero-nas-empresas-entenda-um-pouco-mais-sobre-esse-cenario/

RELACIONADOS

POSTS MAIS RECENTES